Calçadas do Centro – Comcap vai substituir lixeiras, mas as novas custarão quatro vezes mais que as tradicionais azuis

Por Billy Culleton

Quem passa pelo Centro rapidamente percebe a grande quantidade de lixeiras danificadas e sujas nas calçadas.
A Comcap está tentando resolver o problema, porém, por enquanto, sem sucesso.

Já foi feita uma licitação para a compra de 350 novas papeleiras azuis, iguais às que existem nas ruas desde a década de 1990.
No entanto, a empresa vencedora não está entregando o produto: um dos motivos é que o valor de mercado de cada papeleira (nome correto das ‘lixeiras’) gira em torno de R$ 170 e, na licitação, a empresa cotou em R$ 82.

“Se não entregar nos próximos dias vamos acionar a Justiça”, diz o presidente da Comcap, Márcio Luiz Alves.

Em paralelo, a Comcap pretende substituir todas as 200 papeleiras do Centro por um modelo mais moderno e resistente, cujo custo unitário está estimado em R$ 680, segundo Alves.
Ou seja, quatro vezes o valor da tradicional papeleira azul.

O alto custo da papeleira Milenium, objeto da licitação, se justificaria, de acordo com o presidente da autarquia, pela praticidade, durabilidade e segurança para os trabalhadores da Comcap.

Essa papeleira é produzida na Espanha, importada pela empresa Contemar, com sede em Sorocaba, São Paulo.
Em contato telefônico do Floripa Centro com a empresa foi informado que cada papeleira Milenium custaria cerca de R$ 1,2 mil. “Tudo isso?!”.“É que é material especial, muito resistente”, disse a atendente, se referindo ao polietileno de alta densidade (Pead), material com que é feita a papeleira.

Alves informou que esta semana encaminhou ao Comitê Gestor da Prefeitura de Florianópolis pedido de autorização para iniciar a licitação de compra das 250 novas papeleiras, 200 para instalação imediata e 50 de reserva.
Ele calcula que em até dois meses a cidade já possa contar com o novo produto nas calçadas, o que custaria R$ 170 mil, caso se confirme o preço de R$ 680 por unidade.

Uma papeleira Milenium já foi instalada, a modo de teste, na esquina da rua Tenente Silveira com a Praça 15, ao lado da Catedral.

As papeleiras azuis que serão substituídas no Centro deverão ser recuperadas e recolocadas em outras áreas da cidade, que conta com 1,1 mil unidades.

Assim, pelo impasse na Justiça, somado ao novo processo licitatório, tudo indica que a população ainda vai conviver por um bom tempo com papeleiras quebradas e sujas nas calçadas do Centro.

(Estimados colegas da imprensa, se possível, pratiquem o ‘fair play’: ao repercutirem esta notícia nos seus meios de comunicação, pedimos a gentileza de mencionar o portal Floripa Centro).

Confira outras fotos:

Confira aqui outra reportagens do Floripa Centro

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *