Pesquisa mostra que 73% dos catarinenses tiveram seus rendimentos impactados pela pandemia

As finanças da maioria das pessoas no Estado foram impactadas negativamente pela propagação do Coronavírus.
É o que mostra pesquisa da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Santa Catarina (Abrasel/SC), feita com 1.372 pessoas, entre 11 e 17 de maio, em todas as regiões do Estado.

O levantamento aponta que 73% dos entrevistados tiveram seus rendimentos impactados.
Destes, 21% tiveram uma redução da renda familiar superior a 50%.

A pesquisa buscou saber, principalmente, os novos hábitos dos consumidores e concluiu que o medo do contágio e a queda da renda são os gargalos mais relevantes para a retomada das atividades dos bares e restaurantes.

“Mesmo com protocolos de segurança mais rígidos que outros setores e apesar de o segmento ser considerado de risco moderado pelo SUS, com a OMS afirmando que os alimentos não transmitem o vírus, os consumidores estão com medo de voltar aos estabelecimentos”, afirma Raphael Dabdab, presidente da Abrasel em Santa Catarina. De acordo com a consulta, 53% dos entrevistados ainda não se sentem seguros para voltar a frequentar restaurantes.

A opção pelo delivery foi a encontrada pelo público para consumir alimentos fora de casa – 63% dos consultados afirmaram ter aumentado a frequência de compra, sendo que 57% disseram ter aumentado o gasto médio por pedido nesta modalidade.

Dabdab ressalta que o distanciamento previsto no protocolo de segurança reduz drasticamente o risco de contágio comunitário, uma vez que os clientes permanecem sentados na maior parte do tempo, o que garante a segurança.
“Orientar o consumidor e dar visibilidade às medidas preventivas são as chaves para os empresários acelerarem a retomada dos seus negócios”, afirma.

“A recuperação da renda e do poder de compra, infelizmente, deverá demorar mais a ser superada do que o medo do contágio. Por isso, os empresários têm de repensar seu modelo de negócio à luz desta nova realidade”, alerta o presidente da Abrasel/SC.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *