Maior dano da história na rede elétrica de SC – Ventos provocam novas quedas de árvores por toda a cidade

“O maior dano de toda a história na rede elétrica de Santa Catarina”.
Essa é a definição da Celesc para o ocorrido no Estado entre a terça-feira, 30, e quarta-feira, 1º, por causa do ciclone que atingiu todas as regiões catarinenses.

Pela manhã, em Florianópolis, cerca de 65 mil unidades consumidoras estão sem energia elétrica.
Em todo o Estado, somavam 750 mil.
A Celesc busca recompor 75% a 80% do sistema até o final desta quarta-feira. Nas áreas rurais, o tempo de recomposição pode ser de dois a três dias.

Trânsito interrompido na Avenida Trompowski, por queda de árvore na manhã desta quarta-feira, 1º:

No Rio Vermelho, a Polícia Rodoviária Federal fez imagens dos estragos pela ventania na SC-406:

No final da noite desta terça-feira, 30, os meteorologistas do sistema Epagri/Ciram alertaram para nova ocorrência de ventos fortes na madrugada e manhã desta quarta-feira (1º) na Grande Florianópolis.
De acordo com o site OCP News, a previsão era de ventos persistentes, com rajadas de 60km/h a 80km/h, mas com picos de até 100 km/h.

Temporal com fortes rajadas de vento causa estragos na cidade nesta terça-feira
Uma tempestade atingiu a Capital no meio da tarde desta terça-feira, 30, deixando sem energia elétrica milhares de unidades consumidoras de diferentes bairros.
Placas foram arrancadas e árvores acabaram caindo na região central da cidade.

Na Avenida Beira Mar Norte, a Guarda Municipal recolheu uma enorme placa que se desprendeu mas não atingiu nenhum veículo.

A Celesc informou que em virtude do mau tempo provocado por um ciclone extratropical com rajadas de vento de até 110Km/h, por volta das 15h30, mais de 600 mil unidades consumidoras estavam com o fornecimento de energia elétrica interrompido na área de concessão da empresa.
No Centro, o temporal começou às 16h e durou cerca de uma hora, o suficiente para provocar grandes estragos.
Imagens da Rua Felipe Schmidt:

Em Jurerê, vento arranca telhado de prédio (de Marcelo Benez):

Momento da queda de enorme placa no Fort Atacadista, em Santo Antônio de Lisboa:

Árvore cai na Beira Mar, perto da UFSC:


Árvore interrompe o trânsito no Estreito:

No Bairro Trindade:

Na SC-401, sentido Centro, perto da entrada para Jurerê (imagem da PMR):

E, às 17h15min, ‘depois da tempestade vem a calmaria’:

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *