A primeira autoescola de Santa Catarina – Brinhosa completa 53 anos, com 140 mil condutores aprovados

Compartilhe:

Branded Content*

Até o final da década de 1960, Florianópolis era a única cidade de Santa Catarina onde era possível tirar a carteira de motorista.
O processo demorava uma semana, entre a petição inicial, prova teórica e exame médico.
A prova prática de direção ainda não era obrigatória.

Registro dos modelos de veículos na década de 1960 (Acervo Nelson Silveira)

Naquela época, o manezinho Altamiro Brinhosa era representante comercial e viajava pelo interior do Estado.
Quando voltava à Capital, muitas vezes fazia a gentileza de trazer os documentos dos filhos de amigos e clientes que queriam obter a carteira de motorista.
Gratuitamente, ele encaminhava a solicitação aos órgãos públicos e, às vezes, hospedava os candidatos na sua própria casa por uma semana, até fazerem o exame médico e aguardar a entrega da habilitação.

Passado e presente: simulador dos anos 1980 e, ao lado, o digital da atualidade

‘Quem vai pagar para aprender a dirigir?’
Foi quando o filho Luiz Fernando Brinhosa, atualmente com 74 anos, pensou em abrir uma autoescola aproveitando a experiência adquirida pelo pai.
A pergunta que o jovem Luiz mais ouvia era: “Mas, quem é que vai pagar para aprender a dirigir?”.
É que, naquele tempo, as pessoas aprendiam os segredos da direção no carro da família, um ‘know-how’ passado de pai para filho.

Chevette da década de 1970, com a Ponte ao fundo

Fundador faz-tudo
Luiz não desanimou com as previsões pessimistas e em 1º de fevereiro de 1968 fundou a empresa, sediada num pequeno escritório no Estreito, adaptado com uma minúscula sala de aula.
“Tinha 21 anos e fazia todo o serviço: era professor de teoria de trânsito e de direção, já que a prova começou a ser obrigatória na década de 1970”, conta Luiz Brinhosa, lembrando que também acompanhava os alunos para fazer o exame médico no Centro da Capital.


Primeiras aquisições: Gordini e Jeep
Para viabilizar a iniciativa comprou os primeiros veículos: dois Gordini, do ano 1965, e um Jeep 1954.
O objetivo era agradar a toda a clientela: para os alunos do interior, acostumados com veículos rústicos como a Rural, Luiz oferecia o ‘jipão’.

Já para o público urbano e, principalmente as mulheres, tinha os Gordini, pequenos e fáceis de estacionar.
“As aulas práticas, com baliza, eram feitas no aterro de barro onde hoje é a Avenida Beira Mar Norte”, lembra Brinhosa.

Evolução da frota
Ao longo dos primeiros anos, a preocupação de Luiz foi manter a qualidade do serviço oferecido, aprimorando constantemente a frota: na década de 1970 foram adquiridos Fuscas, Brasílias e Chevettes, além de veículos maiores como Corcel, Opala e Galaxy.
Logo depois, para atrair motoristas de veículos pesados, a Brinhosa adquiriu um caminhão Opel Chevrolet 1950.

A empresa hoje
Ao longo dos seus 53 anos de atividade, a Brinhosa formou cerca de 140 mil condutores, numa média de 10 motoristas por dia.
Atualmente, a empresa conta com uma moderna frota de 28 carros, 10 motos e um ônibus.

Em Forquilhinhas fica a mais recente unidade da empresa

A equipe de colaboradores é formada por 45 pessoas, entre instrutores e demais funcionários.
São cinco unidades na Grande Florianópolis: Centro, Estreito e Ingleses, na Capital, além de Barreiros e Forquilhinhas, em São José, que possuem salas de aula climatizadas e datashow.
Também tem quatro pistas próprias para as aulas práticas de moto.

“Trabalhamos para ajudar as pessoas a realizarem seus sonhos de conquistar a independência através da habilitação”, explica Marcos Brinhosa, filho de Luiz e que segue os passos do fundador, trabalhando como diretor-geral na empresa desde 2011.
“Ao mesmo tempo, busco honrar e aprimorar o legado e a tradição da empresa de nossa família”.

Luiz e Marcos Brinhosa, tradição repassada de pai para filho

Curiosidades:
– Para fazer o treinamento com os alunos, Brinhosa adaptava os veículos soldando um ferro, na horizontal, que permitia comando duplo de embreagem e freio, desde o banco do carona.
– Por ser a primeira e única autoescola de Santa Catarina, a empresa chegou a ter filiais em Criciúma, Lages e Blumenau.

– Como reconhecimento pelos serviços prestados à cidade, o fundador da Autoescola Brinhosa, Luiz Brinhosa, foi homenageado em 2014 pela Câmara Municipal de Vereadores e recebeu a Medalha de Mérito do Município de Florianópolis.
– Entre as anedotas contadas por Luiz destaca-se o caso de um aluno que treinava no Jeep, na década de 1970. Quando foi passar a marcha da 3ª para a 2ª, esqueceu de apertar a embreagem e a alavanca da marcha, ao não engatar, começou a tremer. Assustado, o aluno soltou um grito desesperado: ‘o carro está dando choque!’, causando gargalhadas dos presentes.

Serviços prestados pela Brinhosa
Primeira habilitação, adição de categoria, mudança de categoria, cursos de atualização e reciclagem para infratores, renovação de CNH, aulas para habilitados, CNH para estrangeiros, 2ª via de CNH e troca de permissão para CNH permanente.

Contatos
Site: www.autoescolabrinhosa.com.br
Telefones: Centro: 3224-8071; Estreito: 3244-5014; Ingleses: 3030-5725; Barreiros: 3246-0928; Forquihinhas: 3375-0673.
WhatsApp: (48) 98842-8363.

* Branded Content Floripa Centro:
– Esta é uma reportagem publicitária.
– Um texto jornalístico, com informações de interesse geral, porém, patrocinado pela empresa, que é o foco da matéria.
– Esta é uma maneira de rentabilizar o Portal Floripa Centro, para que possamos continuar oferecendo, de forma gratuita, notícias de interesse público sobre a região central da Capital de SC.
– Agradecemos o apoio e pedimos aos nossos leitores que, dentro do possível, prestigiem estas empresas, repassando as informações para seus contatos.

Compartilhe:
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *