Mulheres tentam muito, mas homens morrem mais – Confira as cidades de SC com maior número de suicídios

Nos últimos dois anos, a Capital, onde moram 500 mil pessoas, registrou seis suicídios a cada 100 mil habitantes, índice similar ao de todo o Brasil.
Em 2018, foram 28 casos. E até setembro deste ano, 20 (numa conta simples, poderá chegar a 30 até o final de dezembro).
Já em 2017 houve 45 suicídios na Capital.

Os 20 casos deste ano colocam Florianópolis no terceiro lugar entre as cidades catarinense com maior número de suicídios.
Joinville lidera com 28 mortes autoprovocadas, seguida por Blumenau com 24.

Três vezes mais casos entre homens do que mulheres
Os dados divulgados pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), órgão ligado à Secretaria Estadual da Saúde, mostram que em Santa Catarina, o índice de suicídio de homens é três vezes superior que o de mulheres.
Até agosto deste ano, dos 478 casos no Estado, 374, eram do sexo masculino e 104, feminino.

Por outro lado, o número de mulheres que tentam suicídio é o dobro que dos homens: no mesmo período, foram 2.466 contra 1.129.

No Brasil, na contramão do que acontece no mundo, houve aumento de mortes autoprovocadas na última década. Segundo recente pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a taxa de suicídio entre jovens entre 10 e 19 anos foi a que mais aumentou: 24%.

Tentativa de suicídio na Ponte Hercílio Luz, em maio, foi abortada pelos bombeiros (Billy Culleton)

O estudo mostra que níveis mais altos de desemprego foram associados a maiores taxas de suicídio. “Sentimentos de desesperança e inutilidade, que frequentemente ocorrem em quadros depressivos, são frequentemente vistos como mecanismos psicológicos desencadeantes do comportamento suicida. Esses mesmos sentimentos parecem muito prevalentes na geração de jovens desalentados, sem propósitos claros, que nem trabalham nem estudam”, analisa o psiquiatra da Unifesp Elson Asevedo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *