Nos últimos 12 meses – Reciclagem de lixo aumenta 13% na Capital

Florianópolis está avançando cada vez mais na coleta seletiva.
Em 2019, a população da cidade separou 17,5 mil toneladas de resíduos, um acréscimo de 13% com relação ao ano anterior quando a reciclagem chegou a 15,5 mil toneladas.

Assim, foram 2 mil toneladas a mais em papel, plástico, metal, vidro e orgânicos compostáveis para os roteiros de coleta seletiva ou para os pontos de entrega voluntária e Ecopontos da Comcap.

Triadoras em ação (Divulgação Comcap)

Economia circular e agricultura urbana
Ao mudar o destino dos resíduos do lixo para a reciclagem, o cidadão promove a economia circular, com ganhos ambientais e sociais, e reduz custos públicos com aterro sanitário.

Os recicláveis secos são doados às associações de triadores, que vendem os produtos para a indústria.
Os resíduos orgânicos compostados servem para ajardinamento e hortas urbanas.

O material encaminhado para reciclagem permite ganhos sociais de R$ 8 milhões ao ano se for somado o que a Prefeitura de Florianópolis deixa de gastar com o transporte até o aterro e o valor revertido pelas 11 associações ao comercializar o material.

(Divulgação Comcap)

No ano passado, foram 13 mil toneladas de recicláveis secos doadas para associações de triadores que deixaram de custar R$ 2 milhões de aterro (R$ 161 a tonelada) e promoveram receitas de R$ 4,9 milhões na venda para a indústria (em média R$ 381 a tonelada triada e comercializada).

Coleta convencional ficou igual:
Por outro lado, a coleta convencional (rejeito) estacionou em 0%, interrompendo a tendência de alta entre 3% e 6% das últimos anos.
“Os dados demonstram que o cidadão tem participado do esforço Floripa Lixo Zero 2030 proposto pela Prefeitura de Florianópolis”, aponta o presidente da Comcap, Márcio Alves.
Ele explica que a coleta exclusiva de vidro no pontos de entrega voluntária aumentou 19% e a compostagem de orgânicos aumentou 135% em 2019.

(Divulgação Comcap)

Foram processadas 1,4 mil toneladas de restos de alimentos no Centro de Valorização de Resíduos da Comcap no Itacorubi, em parceria com Associação Orgânica, e trituradas 2,6 mil toneladas de podas.
Este ano será implantada a coleta seletiva de verdes (podas) nos domicílios e a coleta de orgânicos (restos de alimentos) por pontos e em grandes geradores, como condomínios residenciais e instituições como o Cepon, onde está sendo feita experiência piloto.
Também estão sendo adquiridos cinco caminhões compactadores com câmbio automático para a coleta seletiva.

(Divulgação Comcap)

(Com informações da Assessoria de Comunicação da Comcap)

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *