Novo espaço cultural no Centro apresenta a história da mais antiga construção de Florianópolis

Uma das primeiras iniciativas de Francisco Dias Velho após fundar a Póvoa de Nossa Senhora do Desterro, em 1673, foi construir uma pequena capela, de pedra e cal em homenagem à mãe de Jesus.
Exatamente um século depois, em 1773, foi concluída a nova edificação, que atualmente abriga a Catedral Metropolitana de Florianópolis.

A construção foi iniciada em 1753, após o governador da Capital, José da Silva Paes, escrever ao Rei de Portugal, pedindo licença para a construção de uma nova Matriz, da qual ele, engenheiro militar, foi o autor do projeto arquitetônico.
Diversas reformas ao longo dos séculos alteraram o estilo original, mas a arquitetura da portada continua a mesma.

Imagem de 1920, antes da reforma que modificou a fachada (Acervo IHGSC)

Espaço Museal
Os detalhes destes acontecimentos poderão ser verificados no novo Espaço Museal da Catedral, que será aberto ao público em dezembro.

O local escolhido para apresentar os mais de 300 anos de história fica no prédio anexo ao templo, onde até o ano passado funcionava o Café Sorrentino, no calçadão da Padre Miguelino, frente à Câmara de Vereadores.

Vista do interior do Espaço Museal, ainda em obras

O Espaço Museal foi criado em 2012 e estava exposto na sacristia da igreja.

Agora, a intenção do pároco David Coelho é permitir que mais pessoas possam conhecer a história da Catedral, que se confunde com os primórdios da cidade.
A exposição será de painéis com imagens e fotos antigas da Catedral, acompanhadas de textos explicativos.

Curiosidades da Catedral
– Em 25 de novembro de 1922, festa de Santa Catarina, a catedral foi presenteada com cinco sinos vindos da Alemanha, encomendados por Dom Joaquim Domingues de Oliveira.
– Ao todo, são sete sinos: os dois mais antigos (de 1872 e 1896) foram presentes do Imperador Dom Pedro II. Quando instalados, formavam o maior conjunto de sinos da América Latina, pesando mais de cinco toneladas.

(Acervo César do Canto Machado”)

– Os vitrais foram confeccionados em São Paulo e inaugurados em 1949.
– Entre o acervo de arte sacra, encontra-se a escultura Fuga para o Egito, talhada em madeira em tamanho natural, pelo artista tirolês Ferdinand Demetz e que está na Catedral desde 1902.

(Acervo Fernando Machado)

– Toda catedral tem uma cátedra, a cadeira usada pelo arcebispo. A de Florianópolis foi doada pelo primeiro bispo de Montevidéu, Dom Jacinto Vera, que nasceu num navio ancorado em terras catarinenses, em 1813, e foi batizado na catedral da antiga Desterro. Ao morrer, em 1881, deixou expresso o desejo de doar sua cadeira à igreja onde foi batizado.

Cátedra uruguaia (Izi Travel)

(Fontes: sites UFSC e Setur. A imagem de abertura é atribuída à expedição da Comissão Científica do Pacífico, provavelmente captada por Rafael Castro y Ordóñez, entre 1862 e 1864. Ela faz parte do acervo digital CSIC, subsidiado pelo governo espanhol.).

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *