Ponte Hercílio Luz vai ter controle de acesso do público: limite máximo de 8 mil pessoas ao mesmo tempo

Por Billy Culleton

A Ponte Hercílio Luz pode receber, no máximo, 8 mil pessoas ao mesmo tempo.
Uma multidão acima desse número prejudica a estrutura e, consequentemente, a sua durabilidade.

Por isso, a partir deste final de semana, quando será reaberta exclusivamente para pedestres e ciclistas, haverá controle de acesso da população por meio das câmeras instaladas na entrada e saída da ‘velha senhora’, cujas imagens serão monitoradas pela Polícia Militar.

O cálculo dos engenheiros é que haja, no máximo, uma pessoa por metro quadrado (a ponte tem cerca de 11 mil metros quadrados).
Assim, foi determinado o limite prudencial de 8 mil pessoas.

Caso a PM perceba que está se atingindo esse número, será repassado um alerta para que funcionários do Deinfra, junto com a polícia, iniciem o controle nas cabeceiras, até a situação se normalizar.

A medida busca evitar o desgaste atípico dos materiais da ponte.
É que a multidão, ao caminhar, provoca o balanço da ponte (como mostrado pelo Floripa Centro na semana passada).

E essa movimentação não pode ultrapassar um determinado grau, para não prejudicar a estrutura da obra.

Os engenheiros responsáveis pela reforma repetem um mantra esclarecedor: a ponte foi construída para passagem de veículos e, só de forma secundária, para pedestres.
Os carros e ônibus não causam o movimento lateral que as pessoas produzem ao se deslocarem e que podem danificar as barras de olhal, por exemplo.

Por isso, o sentimento dos portugueses da Teixeira Duarte foi de muita apreensão nos primeiros dias da reabertura, já que, em média, cerca de 10 mil pessoas estavam sobre a ponte ao mesmo tempo durante a maior parte do tempo.
(Confira aqui imagens do balanço da ponte no primeiro dia).

Na semana passada, o fiscal da obra, engenheiro José Abel da Silva, explicou que não existe nenhum problema com o peso da multidão, mas, sim, com o balanço provocado pelo deslocamento.

Confira aqui outras reportagens do Floripa Centro

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *