Quatro vagas de estacionamento para servidores públicos são mais importantes que milhares de pedestres?

O Edifício das Diretorias, na Rua Tenente Silveira, foi inaugurado em 1961 e é considerado o primeiro edifício modernista de Florianópolis.
Além da beleza do prédio, o que também chama a atenção são quatro vagas de estacionamento que ocupam o lugar da calçada, na frente do edifício, que é sede da Secretaria Estadual da Infraestrutura.
O amplo passeio de quem vem da Rua Deodoro se reduz a menos de um terço, em razão do espaço destinado exclusivamente para veículos da secretaria, que inclui Deinfra e Deter.

Ao Floripa Centro, uma recepcionista do edifício disse que as vagas eram para “os diretores do Deinfra”. Já um segurança que cuida da entrada do estacionamento interno do edifício (sim, tem um amplo estacionamento próprio ao lado!) afirmou que as vagas eram para “os que visitavam o secretário”.

Imagem registra as três opções dos pedestres: na calçada estreita (à esq.), em cima das vagas (quando desocupadas) e na faixa de rolamento da rua (à dir.)

Por ser local de grande circulação de pessoas e carros, existem pelo menos duas sugestões para o melhor aproveitamento do espaço em benefício da população: a primeira, mais óbvia, transformá-lo em calçada.
Já a segunda, seria utilizá-lo como recuo para os ônibus, já que há uma parada a poucos metros e a detenção dos coletivos na faixa de rolamento da Rua Tenente Silveira provoca congestionamentos no entorno da Praça XV.

Além das vagas de estacionamento exclusivo, mais um empecilho para os pedestres: existe uma obsoleta guarita para controlar o acesso ao estacionamento interno da Secretaria, que ocupa metade da calçada.

O que diz a Secretaria Estadual de Infraestrutura:
Consultada, a Secretaria da Infraestrutura, por meio da assessoria de imprensa, disse que as vagas são apenas para visitantes e que “os pedestres não necessitam passar pelo meio dos carros, pois há uma calçada para eles”.

Confira aqui outra reportagens do Floripa Centro

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *