Tudo dentro da lei – Motos possantes atravessam a Ponte Hercílio Luz pela passarela de pedestres sem problemas

Os pequenos scooters elétricos são coisa do passado.
Agora, a moda entre os mais abastados são as robustas motos elétricas, ‘idênticas’ às tradicionais motocicletas, mas que têm a vantagem de serem silenciosas, não precisam ser emplacadas e não é necessário ter Carteira de Habilitação.

Modelo similar à moto que atravessou a Ponte (Imagem OLX)

Em Florianópolis, um outro benefício é poder atravessar (sozinho) a Ponte Hercílio Luz pela passarela de pedestres/ciclovia, enquanto que pela faixa de rolamento dos veículos tradicionais é proibida a circulação de motos.
Já de carro, só é permitido com dois ou mais passageiros, e em horários limitados.

Flagrante
A reportagem do Floripa Centro, de bicicleta, flagrou uma dessas ‘inofensivas motinhos’ (que custam R$ 20 mil) atravessando a Ponte, nesta quinta-feira, 8, pela manhã.
O veículo, que chega a 80 km/h, circulava normalmente pelas ruas do Estreito e ao chegar à entrada continental da Velha Senhora, passou pelos guardas municipais que fiscalizam o local e entrou na passarela de pedestres/ciclovias.
No trajeto, chamava a atenção das pessoas que não entendiam como um veículo desse porte circulava nesse espaço.

Veja o vídeo:

Um ciclista que cruzou com ele fez gestos acalorados, desaprovando a conduta do motoqueiro.
Outros, olhavam para o silencioso veículo, surpresos e admirados.
É claro, poucos sabiam que estava tudo dentro da legalidade.
Ao chegar à Ilha, a moto retomou seu caminho pelas ruas, indo em direção à Avenida Beira Mar Norte.

Lacuna na legislação
“Existe uma lacuna na lei que impede a fiscalização desses veículos por parte das autoridades”, explicou ao Floripa Centro, o subcomandante da Guarda Municipal de Florianópolis, Ricardo Souza, em entrevista sobre o mesmo assunto, numa reportagem em julho.

Confira aqui:
Scooters elétricos, similares a motos, podem circular em ciclovias? E na passarela da Ponte Hercílio Luz?

O subcomandante da Guarda Municipal fazia referência à falta de uma regulamentação clara por parte do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Flagrante do Floripa Centro em julho (Billy Culleton)

Regulamentação do Contran
Segundo reportagem do G1 em 2019, duas resoluções do Contran regulamentam os patinetes e scooters.
A Resolução 465, de 2013, estabelece os parâmetros para os chamados equipamentos de mobilidade individual autopropelidos.

Ela prevê que veículos cujas medidas iguais ou menores do que a de cadeiras de roda, não precisam ser emplacados, e podem ser conduzidos por qualquer pessoa.

Para isso, devem ter até 1,15 metro de comprimento, 70 cm de largura e 92,5 cm de altura.
A maioria dos scooters ‘possantes’ que circulam por Florianópolis tem 1,7 metro de comprimento e atinge 60 km por hora.

O G1 consultou o Departamento Nacional de Trânsito, Denatran.
Em nota, o órgão afirmou que “os veículos elétricos de pequeno porte, como bicicletas, scooters e patinetes ainda não são regulamentados pelo Código de Trânsito Brasileiro, mas o tema tem sido objeto de estudos pelo Denatran”.

(Texto e imagens: Billy Culleton)

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *