Vídeos – Terceiro incêndio em sete meses alerta para a segurança das lojas no Centro Histórico de Florianópolis

Compartilhe:

Os cinco comércios que incendiaram na noite desta segunda-feira, 28, entre as ruas Conselheiro Mafra e Francisco Tolentino, no Centro da Capital, acenderam a luz amarela para a necessidade de prevenção e manutenção, que evitem esses sinistros numa região onde prevalecem edificações históricas.

É a terceira ocorrência em poucos meses na Conselheiro Mafra: em 30 de novembro, o fogo atingiu a loja Plumas e Paetês.
As chamas derreteram um cano de água, o que evitou que o incêndio se propagasse ainda mais.

Segundo uma funcionária, ouvida hoje pelo Floripa Centro, tudo começou por um curto circuito.

Bombeiros trabalhando na Loja Plumas e Paetês, em novembro

Em 16 de março, na mesma rua, porém, próximo do prédio da Alfândega, foi a vez da Loja Magazine Luiza.

O incêndio se originou no interior do estabelecimento, à tarde, e os Bombeiros conseguiram controlar as chamas rapidamente evitando maiores danos.

Roupas e vime
O incêndio desta noite atingiu três lojas na Conselheiro Mafra e duas na Francisco Tolentino, frente ao Camelódromo.
Quatro estabelecimentos vendiam confecções, e um, artigos de vime.

Os Bombeiros utilizaron 5 mil litros de água para apagar as chamas, após mais de três horas de trabalho árduo.

Nesta terça-feira, em conversa informal com comerciantes vizinhos às lojas incendiadas ontem, a maioria repetia que as chamas teriam se originado num aparelho de ar condicionado que ficou ligado ‘no quente’, numa das lojas atingidas.

“Esqueceram de desligar ao fechar o estabelecimento”, se limitavam a dizer, esclarecendo que apenas tinham ‘ouvido falar’ nessa versão.

Bombeiros não informam causa
Geralmente, as causas não são informadas pelos Bombeiros.

No início da manhã desta terça-feira, 29, a reportagem do Floripa Centro perguntou para a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina sobre o resultado das perícias feitas nos dois incêndios, ocorridos em novembro e março.

Embora tenham respondido que iriam apurar o questionamento, até a publicação desta matéria, às 15h, não houve retorno.

(As imagens são da Guarda Municipal de Florianópolis)

Compartilhe:
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *