Enxergando com as mãos – Obras em 3D para deficientes visuais (e para o público em geral) no Palácio Cruz e Sousa

Termina nesta semana a mostra A arte de Gabriel Bonfim: De Fotografia à Tactography.
A exposição, no Museu Histórico de SC/Palácio Cruz e Sousa, foi pensada especialmente para deficientes visuais. A técnica desenvolvida pelo autor transforma fotos em imagem capazes de serem percebidas por deficientes visuais.

As obras são feitas a partir da fotografia original e do escaneamento 3D em software de desenho assistido por computador e, posteriormente, impressas em relevo.

A ideia de fazer essas obras “visíveis aos cegos” surgiu em 2014 quando o fotógrafo brasileiro Gabriel Bonfim realizou uma série de retratos do renomado tenor Andrea Bocelli e de sua família, em Istambul.

Por causa da cegueira de Bocelli, não foi possível mostrar os retratos. Então, Gabriel e seu parceiro, Thomas Kurer, buscaram uma maneira de tornar as fotografias “visíveis” para os deficientes visuais.

A mostra, no Centro, que termina em 28 de julho, também retrata Denis Vieira, bailarino catarinense formado pelo Teatro Bolshoi, em 2000, e que atualmente é solista no Ballet Nacional da Ópera Alemã de Berlim.

A exposição foi realizada pela primeira vez no Brasil em 2016, no Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo. Em 10 dias, atraiu milhares de pessoas.

Confira aqui outra reportagens do Floripa Centro

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *