Exclusivo – IBGE sobre Florianópolis: maternidade tardia, aumento de divórcios e mais uniões homossexuais

Compartilhe:

O IBGE divulgou nesta quarta-feira, 9, as Estatísticas do Registro Civil 2019 de todo o Estado de Santa Catarina.
Atendendo ao pedido do Floripa Centro, o órgão fez o recorte sobre os dados da Capital.

Confira os resultados:

Maternidade após os 30 anos
Em Florianópolis, predominou no ano passado o grupo das mulheres que foram mães entre os 30 e 34 anos (26,2%).
Em Santa Catarina, prevaleceu o grupo de 25 a 29 anos.
Na Capital, mesmo o grupo de 35 a 39 anos (21,3%) é maior que o das mães de 25 a 29 (20,5%).

Menos nascimentos
A pesquisa também aponta que Florianópolis foi, em 2019, a segunda cidade catarinense com mais nascimentos, atrás de Joinville.
Houve uma queda de 3,6% em Florianópolis, ou 230 nascimentos a menos que em 2018.
No ano passado houve 6.103 nascidos na Capital, ante 7.783 em Joinville.

Mais meninos que meninas
Como no Estado, em Florianópolis nasceram mais homens (51,7%) que mulheres (48,3%).
Em Santa Catarina, o nascimento de homens correspondeu a uma parcela levemente menor (51,4%) do total.

Casamentos: estabilidade
Florianópolis, com 2.225 casamentos em 2019, também foi superada neste quesito por Joinville, que teve 3.625 casamentos no ano passado.
O aumento de casamentos na Capital, em relação a 2018, foi de apenas 24 casamentos, ou 1% a mais.
Os cônjuges de 30 a 34 anos eram maioria (574 casamentos), seguidos pelos de 25 a 29 anos (457) e de 35 a 39 anos (400).

Mais uniões homossexuais
Na Capital, houve 26 casamentos de pessoas do mesmo sexo (em Joinville, foram 24).

Aumentam divórcios
O número de divórcios em Florianópolis teve aumento de 24,4%, passando de 713, há dois anos, para 887, no ano passado.
Em 7 de cada 10 divórcios houve comunhão parcial de bens.

Guarda compartilhada prevalece
A guarda compartilhada é bem mais comum na Capital (43%) que no Estado (28,2%), que tem um índice um pouco superior ao verificado no país (26,8%).

Menos mortes violentas
Dos 2.607 óbitos registrados em Florianópolis em 2019, 126 foram violentos.
Essa proporção, 4,8%, é menor que a estadual, de 7,5%.
Como também ocorre no Estado e no país, as mortes violentas masculinas são as mais comuns, tendo sido o caso, na Capital, de 98 das 126 mortes.
Com 25 dessas mortes, o grupo de idade de 20 a 24 anos foi o mais vitimado.

(As ilustrações da imagem de abertura são do Pixabay)

 

Compartilhe:
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *