O isopor é 100% reciclável – Ruas do Centro ganham pontos de coleta exclusivos para o material

Durante muitos anos convivemos com o mito de que o isopor não era reciclável.
Ledo engano!

Revendido por R$ 1,00 o quilo, o material, composto principalmente de plástico, é totalmente reaproveitável.
Mas, segundo pesquisa da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp), somente 7% da população brasileira sabe disso.

Assim, para incentivar e facilitar a reciclagem estão sendo instalados pontos de entrega nas ruas da cidade.
No Centro já existem em três locais: na Avenida Hercílio Luz, no Largo São Sebastião (Praça dos Namorados) e no Mirante da Beira Mar (nos altos da Felipe Schmidt).

Os 10 pontos distribuídos pela cidade (Divulgação Comcap)

A eles se somam outros sete pontos em alguns bairros da cidade: Coqueiros, Estreito, Santa Mônica, João Paulo, Parque São Jorge e Trindade.
Por enquanto, é um projeto piloto: se der certo, será ampliado para as demais regiões da Capital.

Os pontos de entrega estão sendo instalados ao lado dos contentores que recebem vidros (existem 90 em todo o município).

Volume diminui 95%
O isopor será encaminhado para a Associação de Coletores de Materiais Recicláveis, no Itacorubi, onde o processo de aglutinação retira 95% dos espaços (formado por ar).

Somente isopor limpo deve ser descartado nas cabines: na imagem, interior do ponto na Hercílio Luz (Billy Culleton)

O material é transformado num novo produto: o “pãozinho”, como costuma ser chamado.
O tratamento reduz o volume e os custos de logística de transporte.

Parcerias
Para viabilizar o programa, a Prefeitura da Capital assinou um termo de parceria e cooperação técnica com o Instituto Socioambiental dos Plásticos (Plastivida), de São Paulo, e com a Indústria de Molduras Santa Luzia, de Braço do Norte.

Valor agregado
De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Fábio Braga, estimular a entrega das embalagens de isopor em cabines coletoras permite agregar qualidade e valor ao material.
Com melhor separação, facilita o tratamento e o preço de venda do material pode aumentar em até três vezes.

Importante reforçar que, caso você não consiga levar o isopor até os pontos de entrega, o material pode ser descartado junto com os demais recicláveis para a coleta da Comcap.

(Com informações da Assessoria de Comunicação da Comcap)

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *