Os melhores filmes exibidos pela Fundação Cultural Badesc em 2019 serão reapresentados gratuitamente em janeiro

Durante este mês a Fundação Cultural Badesc realiza uma retrospectiva cinematográfica com os filmes que mais se destacaram ao longo de 2019 no Cineclube.
A mostra ‘Melhores do Ano’ é gratuita e vai de 14 a 31 de janeiro. As sessões acontecem sempre às 19h.

O objetivo é celebrar, rever ou assistir pela primeira vez os filmes com maior repercussão junto ao público ao longo do último ano.
Em 2019, o Cineclube da Fundação realizou 231 sessões, apresentando filmes com as mais diversas temáticas e propostas de discussão, alcançando um público de cerca de 5 mil pessoas.
A Fundação está localizada na Rua Visconde de Ouro Preto, 216, no Centro de Florianópolis.

Confira a programação: 

Dia 14, terça-feira:
“Túmulo dos vagalumes” (Hotaru no haka), de Isao Takahata. Japão, 1988. Animação.
Após uma brusca separação de seus pais por conta da Segunda Guerra Mundial, os irmãos Setsuko e Seita vão para um abrigo isolado na floresta onde lutam contra fome e doenças.
Classificação indicativa: 12 anos

Dia 16, quinta-feira:
“Gloria”, de Sebastián Lelio. Chile, 2013. Comédia dramática.
Gloria é uma mulher solitária de 58 anos, que encontra uma nova oportunidade de amar. Mas apaixonar-se pode ser mais complicado do que ela imaginava.
Classificação indicativa: 16 anos

Dia 17, sexta-feira:
“Visages, Villages”, de Agnès Varda e JR. França, 2017. Documentário.
Uma road trip por regiões distantes dos centros urbanos da França motivada por experiência fotográfica do artista JR promovem encontros com pessoas anônimas, suas histórias e suas fotografias, despertando reflexões sobre o exercício de produzir e compartilhar imagens.
Classificação indicativa: 12 anos

Dia 21, terça-feira:
“Amor, plástico e barulho”, de Renata Pinheiro. Brasil, 2013.  Drama.
Shelly é uma jovem dançarina que tem o grande sonho de se tornar cantora de Brega. Para isso, ela segue os passos de Jaqueline, sua companheira de banda e musa inspiradora.
Classificação indicativa: 14 anos

Dia 23, quinta-feira:
“Jesus Cristo Superstar” (Jesus Christ Superstar), de Norman Jewison. EUA, 1973. Drama Musical.
Os últimos dias de Jesus Cristo narrados do ponto de vista de Judas. À medida que o número de seguidores de Jesus aumenta, Judas começa a se preocupar que ele esteja se apaixonando por sua própria promoção, esquecendo os princípios dos seus ensinamentos.
Classificação indicativa: 12 anos

Dia 24, sexta-feira:
“Vênus Negra” (Vénus Noire), de Abdellatif Kechiche. França e Bélgica, 2010. Drama.
Em 1808 Saartjie deixa o sul da África como escrava e em Londres é obrigada a exibir seu corpo nas feiras de aberrações.
Classificação indicativa: 16 anos

Dia 28, terça-feira:
“No”, de Pablo Larraín. Chile, 2012. Drama.
No Chile de 1988, o governo ditatorial convoca um plebiscito para perguntar se a população apoia os militares. Um publicitário fica responsável pela Campanha do Não, com ideias ousadas para convencer o povo a acabar com o regime militar.
Classificação indicativa: 12 anos

Dia 30, quinta-feira:
“Sede de sangue” (Bakjwi), de Chan-wook Park. Coréia do Sul, 2009. Terror.
Sang-hyeon é um padre que trabalha num projeto secreto de desenvolvimento de vacinas. Durante um experimento ele é infectado e morre, mas ao receber uma transfusão de sangue de um desconhecido volta à vida como um vampiro.
Classificação indicativa: 16 anos

Dia 31, sexta-feira:
“Torre das Donzelas”, de Susanna Lira. Brasil, 2018. Documentário.
40 anos após serem presas durante a ditadura militar, na penitenciária feminina apelidada de torre das Donzelas, um grupo de mulheres revisita sua história em relatos carregados de emoção. 
Classificação indicativa: 12 anos

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *