Poluição sonora – Prefeitura multa bares do Centro e disponibiliza formulário para denúncias on line

Compartilhe:

Com um aparelho portátil que identifica o nível de ruídos, fiscais da Prefeitura de Florianópolis registraram 20 infrações por poluição sonora em bares da região central da cidade.

Foram 17 notificações e três multas, durante o final de semana, em estabelecimentos próximos à Avenida Hercílio Luz, na parte Leste do Centro.

Um dos autos de infração foi para um food park que estava com o som a 78 decibéis, quando o máximo nesta área, à noite, é de 65 decibéis.
Uma pessoa que estava com uma caixa de som ligada em alto volume na Rua Anita Garibaldi também foi notificada.

A equipe de fiscalização contou com servidores da Floram, que atuaram em conjunto com a Guarda Municipal e a Polícia Militar.

“A fiscalização continuará coibindo a poluição sonora e conscientizando tanto donos de estabelecimentos quanto a população em geral de que existem regras para o uso de som”, explicou o chefe do Departamento de Controle de Emissões Sonoras, Dario Souza da Silva.

Como denunciar
A população pode contribuir com a fiscalização, denunciando por meio dos canais oficiais.
Pode ser pelo e-mail ouvidoria.floram@pmf.sc.gov.br
Ou pelo link http://bit.ly/denunciapoluicaosonora, onde constam as orientações e o formulário.

Zoneamento define limite
O nível de decibéis permitidos varia de acordo com o zoneamento da cidade.

As multas são para estabelecimentos que apresentem reincidência na irregularidade.

Nos demais casos, os autos simples de infração notificam por escrito orientando o estabelecimento sobre a impossibilidade de utilizar qualquer fonte sonora até regularizar o projeto de acústica do local.

“Os limites previstos em lei devem ser respeitados para que tenhamos um ambiente em que tanto as pessoas que pretendem se divertir quanto as que buscam descansar consigam conviver de forma harmônica”, salientou Dario Souza da Silva.

(Com informações e imagens da PMF)

Compartilhe:
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *