Há 123 anos morria Cruz e Sousa – Conheça os locais, no Centro, onde nasceu e cresceu o poeta

Compartilhe:

A maioria dos florianopolitanos conhece a belíssima obra poética do desterrense João da Cruz e Sousa, nascido em 24 de novembro de 1861, e que dá nome ao Palácio que sedia o Museu Histórico de Santa Catarina, no centro da Capital.

Porém, pouco se conhece sobre os locais onde nasceu e cresceu o maior poeta simbolista do Brasil, que morreu no Rio de Janeiro, em 19 de março de 1898, e cujos restos mortais descansam no jardim do Museu Histórico.

Cruz e Sousa nasceu e passou a sua primeira infância na região conhecida como Chácara do Espanha, atrás da Catedral Metropolitana, perto do atual Teatro Álvaro de Carvalho.

Rara imagem do menino Cruz e Sousa (Acervo do documentário Documentário sobre Cruz e Sousa)

No local existia uma grande propriedade que pertencia ao Marechal Guilherme Xavier de Sousa, para quem trabalhavam os pais do poeta.

Como informa a historiadora Graciane Daniela Sebrão, na dissertação de mestrado “Presença/ausência de africanos e afrodescendentes nos processos de escolarização em Desterro – Santa Catarina (1870-1888)”, Udesc, 2010.

Local onde ficava a propriedade do Marechal Guilherme (Imagem de autoria desconhecida)

“A família morava no porão amplo do sobrado de Marechal Guilherme Xavier de Sousa e Clarina Fagundes Xavier de Sousa, para os quais trabalhavam seus pais. A propriedade, que depois ficou conhecida como Chácara do Espanha, ficava próximo à Igreja Nossa Senhora do Rosário e ao Teatro Santa Isabel (atual TAC).”

Seu pai foi escravo do casal até 1864, quando o marechal o libertou. Sua mãe Carolina, porém, já estava na condição de liberta.
“Por isso, o menino nasceu livre”, conta Sebrão.

Casa na Praia de Fora
Em 1870, o Marechal Guilherme (nome de rua onde está a Igreja do Rosário), deixou à família do poeta uma parte do solar, em testamento.
No entanto, alguns anos depois, de acordo com a pesquisa da historiadora, a família se mudou para a Praia de Fora, onde o pai de Cruz e Sousa conseguiu construir uma casa.
A Praia de Fora estava localizada na atual Beira Mar Norte, aproximadamente, entre a Avenida Gama D’Eça e a Rua Arno Hoeschel.

Praia de Fora na década de 1950 (Registro da família von Wangenheim, Coleção Desterro Antesdonte)

Após dirigir o jornal Tribuna Popular, ser professor e lançar o primeiro livro “Tropos e Fantasias”, em 1890, partiu para o Rio de Janeiro onde seguiu a sua brilhante trajetória de poeta e ativista.
Morreu de tuberculose, em Minas Gerais em 19 de março de 1898.

Mural ao lado do Palácio Cruz e Sousa (Billy Culleton)

Veja o documentário sobre Cruz e Sousa, encarnado pelo ator Maurício Gonçalves:

(A imagem de abertura é da obra “Exposição comemorativa do centenário de nascimento de Cruz e Sousa – 1861 – 1961”, da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro)

Compartilhe:
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *