No Dia do Trabalhador, homenagem poética aos milhares de catadores de material descartado – Por Chiko Kuneski

Compartilhe:

A atividade do catador de materiais descartados no país remonta ao início do século XX, quando era realizado principalmente por imigrantes portugueses, popularizando os chamados garrafeiros.

“Com o passar do tempo, surgem novas denominações à ocupação: burro-sem-rabo, sucateiro, carroceiro, carrilheiro e catador, variando de acordo com a região do Brasil”, sustenta o historiador Ângelo Bezerra, no artigo “Catadores de “lixo”: o nome não importa, o peso é o mesmo”.

Neste Dia do Trabalhador, o jornalista Chiko Kuneski presta uma homenagem aos mais de 800 mil catadores em todo o país, que prestam um relevante serviço ao meio ambiente e à sociedade em geral.

Ouça o poema musicado no canal de Youtube de Chiko Kuneski & Luiz Aurélio:

Compartilhe:
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *