População de rua protesta contra ‘higienização’ do Centro

A implantação de políticas públicas que amenizem o sofrimento dos moradores de rua foi a principal
reivindicação do protesto dos moradores de rua do Centro da Capital, na manhã desta segunda-feira, 20.

Cerca de 150 pessoas participaram da mobilização, no Largo da Catedral, sob o slogam ‘Mais direitos, menos tapumes’.  O estopim para a reclamação foi o fechamento com tapumes, neste final de semana, do entorno do Edifício das Diretorias, na esquina das ruas Tenente Silveira e Deodoro.

Na marquise do prédio, a população de rua costumava montar acampamento à noite para dormir. Cedo pela manhã, as barracas e colchões eram recolhidos pelas pessoas em situação de rua.
Os vizinhos e transeuntes, porém, reclamavam do lixo e do mau cheiro que eram deixados pra trás.

Liderados por integrantes do Movimento Nacional de População de Rua (MNPR), os sem teto querem se reunir, ainda nesta segunda-feira, com representantes da prefeitura para cobrar a implementação de políticas públicas para o setor.

Confira as principais reivindicações:

No ano passado, o prédio do INSS, na rua Arcipreste Paiva, passou por uma revitalização que conseguiu deslocar os moradores de rua que ali dormiam.

Embaixo da marquise, na calçada, foram colocadas plantas ornamentais que impedem a instalação de colchões ou barracas. Provavelmente, o mesmo deverá ser feito no Edifício das Diretorias.

Confira outras fotos:

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *