Só sobraram três canhões – A história do Forte São Francisco Xavier, demolido há 180 anos, no Centro

Compartilhe:

Por Billy Culleton
O brasão do Rei George II é a prova da origem inglesa dos três canhões remanescentes do Forte São Francisco Xavier da Praia de Fora.

Encontrados por acaso em 1998 durante escavações para obras pluviais, são as únicas testemunhas da existência da fortaleza desaparecida em 31 de agosto de 1841.

Localizado na atual Praça Esteves Júnior, entre a Beira Mar Norte e Rua Bocaiúva, o forte foi construído pelo Império Português, em 1761, como parte do sistema defensivo da Ilha de Santa Catarina.

Em tempos de guerra, resguardava o acesso à Vila de Nossa Senhora do Desterro, e em tempo de paz, evitava a atracação de embarcações tripuladas por contrabandistas.

Leilão
O forte foi vendido em leilão há 180 anos.
O comprador deveria demolir a edificação para, posteriormente, vender os materiais da construção.

Mapa de 1778 mostra a localização da fortaleza (Acervo Archivo General Militar de Madrid)

O preço final de duzentos e dois mil réis foi considerado baixo pela imprensa, na época.
“Preço menor do que valia a cantaria de seus portões”, descreveu Oswaldo Rodrigues Cabral, no livro As defesas da Ilha de Santa Catarina no Brasil-Colônia (1972).

Estrutura
Em 1786, a fortaleza chegou a possuir 19 canhões, segundo levantamento do alferes José Correia Rangel, como publicado no site fortalezas.org.
A edificação possuía uma planta em forma de polígono, com uma muralha semicircular voltada para o mar.

Planta do forte (Acervo da Biblioteca Mário de Andrade/SP)

No seu interior existia o quartel dos oficiais, quartel dos soldados, paiol da pólvora e cozinha.

Contornando este pátio central, numa plataforma elevada acessada por um único lance de escadas, encontravam-se as baterias de canhões.

Terreno da Marinha
De acordo com o site Fortalezas, o terreno de Marinha passou à Câmara Municipal, que, atendendo a uma reivindicação da comunidade local, por volta de 1862, mandou erguer uma praça pública, denominada Jardim Lauro Müller, atual Praça Esteves Júnior.

Canhões foram desenterrados pela Prefeitura (Acervo Fortalezas.org)

Apesar de nada mais restar da estrutura atualmente, durante a execução de obras públicas de drenagem ao redor da Praça Esteves Júnior, em 1998, operários da Prefeitura Municipal encontraram dois canhões de ferro fundido, e na sequência um outro, que pertenceram ao antigo forte.

Sobre eles ainda pode ser visto o brasão inglês do Rei George II, determinando a fabricação inglesa destes armamentos.
A partir de 2001, as primeiras duas peças passaram a incorporar o novo aspecto da praça e a terceira foi transferida para o Forte de Santa Bárbara, também no Centro de Florianópolis.

(A imagem de abertura é parte da planta do forte, no acervo da Biblioteca Mário de Andrade/SP. As fotos atuais são de Billy Culleton)

Compartilhe:
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *